Aos Leitores do blog

Este Blog é feito por voces principalmente porque a maioria das postagens estao sendo reproduzidas aqui e nestas reproduções acabo fazendo alguns comentarios que de maneira nenhuma querem ser ofensivos pelo contrario se sua postagem foi parar aqui é porque ela me interessa e se ela possui algumas fugas sobre o interesse do blog eu tento mante-lo utilizando apenas o que importa para o assunto. Sendo assim gente me desculpe se algum comentario utiliza palavras inapropriadas nao era a intençao. A participaçao dos autores e dos leitores é muito importante para mim nestes casos para nao desmerecer o texto nem acabar distorcendo a intençao autorial

terça-feira, 3 de julho de 2012

LIVROS DE ARTISTA: DEFINIÇÃO PLURAL

  Hoje o tema é sobre o livro de artista

 

Livro de artista, Paulo Miranda, objeto em técnica mista, 50x120 cm, 2003.

     Os artistas, sobretudo os pintores, intervêm e colaboram na elaboração de livros desde tempos imemoriais – nomeadamente a nível decorativo e ilustração. Mas, em meados do século XX fazem-no diferentemente porque engendram eles próprios os (seus) livros assumindo e acompanhando todas as etapas de feitura dos mesmos - são os editores, produtores, paginadores, autores dos textos e imagens, encadernadores e distribuidores. A diferença fundamental, entre o livro ilustrado por um artista e um livro de artista, reside numa subtileza sagazmente definida por Anne Moeglin Delcroix (...) "o livro não tem um significado ele é o significado."

     O livro de artista é integralmente concebido e realizado pelo artista, é da sua inteira responsabilidade e autoria. A partir do século XX, o livro e os múltiplos são, por excelência, meios de divulgação e difusão da contracultura. São materiais geralmente baratos de adquirir ou produzir, transportáveis e, consequentemente, acessíveis a quem quiser consumir. Em meados do século XX, alguns artistas constituem as suas próprias editoras, evitando assim qualquer tipo de censura e garantindo uma independência economica; cito apenas alguns exemplos: Sol Le Witt funda Printed Matter, Ed Ruscha cria a Heavy Industry Publications, Michael Baldwin e Terry Atkinson unem-se em 1968 para criar a Art & Language Press; e, Dick Higgings publica inúmeros livros, opúsculos e manifestos dos artistas ligados ao movimento Fluxus através da sua Editora Something else press. (...) Existem dois aspectos seminais, fundadores do conceito "livros de artista":
 
1 – o artista coleciona, copia e divulga mais facilmente o que faz devido às novas e acessíveis técnicas de reprodução (fotocopiadoras, fax, scanner, impressão off-set, entre outros); passando os a produzir múltiplos colecionáveis e/ou efemeros: revistas, cartazes, postais, livros de artistas, livros-objectos, auto-colantes, flyers mas também discos, filmes, entre outros, de forma autonoma e independente da rede galeristica e museal. Estes múltiplos espelham o cruzamento de uma influência popular e referências eruditas.
 
2 – os artistas documentam os seus próprios processos de trabalho registando happenings e ações efemeras, publicando textos críticos (como por exemplo D. Judd), poéticos ou outros de caráter indefinível – como por exemplo as auto-entrevistas de Lucas Samarras.(...)

Uma outra definição menor, mais simples e que resume isso tudo é essa:

   Os livros de artista são livros produzidos por artistas, na sua maioria para manuseio direto, assim possibilitando uma aproximação física, tatil e visual com a produção artística. Os livros de artista são sempre edições especiais, podendo o artista fazer edição de exemplar único ou múltiplos exemplares. Os livros de artista são espaços de criação, onde se exploram vários tipos de narrativas, são locais privilegiados para experiências plásticas, no livro de artista é possível fazer uso de várias linguagens poéticas (artes visuais, poesia, literatura ...) somando e criando interligações de tempo e espaço, tempo e movimento. É de extrema importância o desenho das palavras, as palavras como imagens, as imagens como palavras, com igual relevância poética. ------------------------- texto de Constança Lucas  

Fonte: http://www.arachnesnet.com/isabelbaraona/pt/textos/2010_sharemag.html
                  http://livrosdeartista.blogspot.com.br/




 LAVATER,Warja Le Petit Chaperon Rouge


AMBE, Noriko  enquanto uns fazem livros  para expressar sua poetica, outros "destroem" (a artista trabalha com recortes em livros/revistas para fazer seu trabalho)

Proxima Postagem: Cinema de Animação

Sugestor de postagens (linkwithin)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Estatisticas e Recomendações de Outbrain