Aos Leitores do blog

Sejam Bem-vindos!!! Este é um espaço dedicado a arte e aos seus (futuros) admiradores. Ele é uma tentativa de despertar em seus visitantes o gosto pelo assunto. Aqui, poderão ser encontradas indicações de sites, livros e filmes de Artes Visuais, imagens de artistas, alem do meu processo de trabalho. É o meu cantinho da expressão. Espero que sua estadia seja bastante agradável e proveitosa.
Este Blog é feito para voces e por voces pois muitas das postagens aqui presentes foram reproduzidas da internet. Alguma das vezes posso fazer comentarios que de maneira parecem ofensivos porem nao é minha intençao, sendo assim, me desculpem. Se sua postagem foi parar aqui é porque ela interessa a mim e ao blog e tento focar os pontos mais interessantes. A participaçao dos autores e dos leitores é muito importante para mim nestes casos para nao desmerecer o texto nem acabar distorcendo o assunto

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL: OS MUSEUS E AS ESCOLAS


Boa Noite, ao falar sobre o patrimonio resolvi colocar este texto de uma colega do curso a distancia que fiz e que mesmo sem conhecermos acabou complementando o que escrevi no artigo: Se os museus http://lauraartes.blogspot.com/2011/09/se-os-museus-e-as-artes-foram-criados.html. Como é um texto contando a experiencia da Tatiana resolvi colocar apenas as partes gerais e nao as expecificas de como ela ministrou as aulas


Revista Brasileira de Arqueometria, Restauração e Conservação - ARC - Vol. 3 - Edição Especial Copyright © 2011 AERPA Editora
Curso de Introdução a Conservação e Restauro de Acervos Documentais - CICRAD- Trabalhos de fim de Curso Convênio AERPA - CFDD do Ministério da Justiça - no 748319/2010


A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL:
OS MUSEUS E AS ESCOLAS

Tatiana Silva Gomes
Educação de Jovens e Adultos - Prefeitura Municipal de Nova Lima / MG
Introdução
   A importância do patrimônio cultural é algo vivo que exige articulações sobre as reflexões educativas, que tem a ver com a nossa história, nossa memória.
   O conceito de patrimônio é muito antigo e sofreu mudanças de significados no decorrer do tempo.
    O patrimônio nasce de uma idéia de pátria, pai, herança. É aquilo que passa de geração para geração.
    Essa noção vem da tradição romana e é muito recente a noção de que o patrimônio é uma idéia pública.
   
    Patrimônio cultural de um povo compreende as obras de seus artistas, arquitetos, músicos, escritores e sábios, assim como as criações anônimas surgidas da alma popular e o conjunto de valores que dão sentido à vida. O patrimônio cultural pode ser preservado mediante um conjunto de ações que garantam a sua permanência com os seus diversos valores e significados artísticos, paisagísticos, científicos, históricos e/ou simbólicos na vida de uma comunidade de um determinado lugar.

   O ideal é que a preservação do patrimônio cultural seja preventiva, antecipando as ações de degradação causadas pelas condições ambientais ou pelos interesses contrários à sua manutenção.
 
   Quando não for possível exercer a conservação preventiva o patrimônio cultural deve ser restaurado, devolvendo da maneira mais exata possível a sua forma e condição original.
   Os museus tem a intenção de promover a educação patrimonial através de seus acervos. Tanto os museus de objetos representativos da cultura materiais e os espaços naturais (museus abertos) visam um programa educativo para receber grupos escolares.
   Segundo ICOM (Conselho Internacional de Museus) Museu: Uma instituição a serviço da sociedade que adquire, conserva, comunica e expõe bens representativos da natureza e do homem.
  
                                         

Fig.1 Visita a exposição Amilcar de Castro na Casa Fiat de Cultura – Belo Horizonte / MG. Alunos da E.M. Florie
Wanderley Dias – EJA – Nova Lima / MG – 2008
  
   Um conceito mais recente: Uma instituição que tem a finalidade de desenvolver conhecimentos, de salvaguardar a memória e de promover a educação e a cultura dos cidadãos.

Materiais e Métodos

   O conhecimento acerca da preservação do patrimônio cultural deve estreitar relações entre “arte escolar” e “Arte” e romper com o ensino da arte como mera transmissão de técnicas ou como momento de lazer e livre expressão para privilegiar a contemplação, o pensamento, o questionamento, a reflexão e o diálogo. Diante disso, ressignificar a prática pedagógica
convidando o aluno a atuar como produtor de sentido e gerador de mudanças em sua vida e em sua comunidade é fundamental.
    A escola, a comunidade e o Poder Público deve preservar o patrimônio cultural por meio de registros, inventários, tombamento, educação patrimonial e conservação.
   Os espaços expositivos e as escolas podem se aproximar ao incluir a educação dos sentidos entre as suas finalidades educativas. A leitura de obras de arte, assim como das diferentes produções, expressões e referências que constituem o patrimônio cultural onde vivemos ou daqueles que acessamos por meio midiáticos e eletrônicos, depende não só do desenvolvimento de nossas capacidades intelectuais/cognitivas, mas igualmente do desenvolvimento da capacidade perceptiva por meio dos nossos sentidos.
   
 Fig.2 Visita ao Museu de Artes e Ofícios – Belo Horizonte. Alunos da E.M. Cristiano Machado da Educação de Jovens e Adultos em Nova Lima / MG – 2010

         Antes da visita com os alunos em locais expositivos, o professor deve conhecer o local para que possa explorar toda potencialidade que a visita pode ter, e pensar numa preparação que estimule a visita.
    Durante a visita cabe ao professor verificar o que está chamando a atenção dos alunos durante a contemplação daquilo que está exposto deixando fluir o olhar e até mesmo quando possível, interagir.
   
    As indagações e inquietações devem ser bem vindas para que os alunos possam fazer leituras sobre o que está exposto, aguçando o olhar.
    Para que a visita se torne significativa, o professor deve levar para a sala de aula após a visita, as interpretações, as curiosidades dos alunos para dar um aprofundamento no que foi visto durante a exposição.
 Assim, cultivar o gosto pela preservação e conservação do patrimônio cultural e para ter vontade de visitar outros espaços expositivos.
 
       Fig.8 Esculturas feitas pelos alunos na aula de Artes
(Objetos da memória)
 
Resultados

    O ensino de arte nas escolas e os setores educativos em museus e instituições, visam uma parceria para a educação patrimonial; convidando os alunos para um olhar sobre o patrimônio cultural que, na maioria das vezes não tem acesso a esses espaços. (...)

   Os espaços expositivos na maioria das vezes contam com uma equipe capacitada para receber o público escolar. São os educadores que nos recebem para a mediação com a obra.

  Na visita a exposição “Tarsila e o Brasil dosModernistas” os alunos puderam conhecer e apreciar obras modernistas de artistas como Di Cavalcanti, Portinari, Tarsila do Amaral dentre outros.
   Alguns dos alunos relataram que era a primeira vez que visitava uma exposição de obras de arte.
    É essencial o conhecimento sobre as diversas técnicas, cores, formas utilizadas pelos artistas antes ou após a visita. A contemplação diante da obra e o fazer artístico após a visita são fundamentais.
Fig.1 Manacá – Tarsila do Amaral, óleo s/ tela
Esta obra de arte exposta na exposição “Tarsila e o
Brasil dos Modernistas” na Casa Fiat de Cultura foi
uma das que mais chamou atenção dos alunos.(...)
      
      A interação da obra com o cotidiano prevaleceu na criação dos alunos. (...)
 
Conclusões:
   O trabalho visa contribuir para a reflexão sobre a preservação do patrimônio cultural e a prática de arte em sala de aula, após visitas com alunos em espaços expositivos.
Somos responsáveis pelo patrimônio cultural e devemos cuidar, preservando para as gerações futuras.

 Se cada um fizer sua parte, preservando e não agredindo o patrimônio cultural, estaremos preservando a nossa cultura, nossa memória.
  Aguçar o olhar através da contemplação, da criação e do conhecimento buscando sensibilização para preservar conservar o patrimônio cultural.

Referências

(1) Escola e Museus: diálogos e práticas. Júnia Sales Pereira, eat. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Cultura, Superintendência de Museus, Pontifícia Universidade Católica de Minas gerais, Cefor, 2007.
(2) A educação como Cultura. BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Editora Brasiliense, 2ª Ed.São Paulo – SP, 1986
(3) FERRAZ, Maria Heloísa; FUSARI, Maria F. de Rezende. Metodologia do Ensino de Arte. 2ª Ed. São Paulo: Cortez, 1999.
(4) Bessa, Altamiro; eat. Preservação do Patrimônio Cultural: nossas casas e cidades, uma herança para o futuro.Belo Horizonte: Crea – MG, 2004.
(5) www.cefor.pucminas.br (DVD Museu e Escola – Parceria: LEME /FAE/UFMG
E-Mail da Autora
Tatianagomes2@yahoo.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...