Aos Leitores do blog

Sejam Bem-vindos!!! Este é um espaço dedicado a arte e aos seus (futuros) admiradores. Ele é uma tentativa de despertar em seus visitantes o gosto pelo assunto. Aqui, poderão ser encontradas indicações de sites, livros e filmes de Artes Visuais, imagens de artistas, alem do meu processo de trabalho. É o meu cantinho da expressão. Espero que sua estadia seja bastante agradável e proveitosa.
Este Blog é feito para voces e por voces pois muitas das postagens aqui presentes foram reproduzidas da internet. Alguma das vezes posso fazer comentarios que de maneira parecem ofensivos porem nao é minha intençao, sendo assim, me desculpem. Se sua postagem foi parar aqui é porque ela interessa a mim e ao blog e tento focar os pontos mais interessantes. A participaçao dos autores e dos leitores é muito importante para mim nestes casos para nao desmerecer o texto nem acabar distorcendo o assunto

terça-feira, 11 de setembro de 2012

A IMPORTANCIA DE SE INVENTARIAR OS OBJETOS



    O texto de hoje é sobre a importancia de catalogar, inventariar objetos e parte de um assunto especifico (regiao do Rio de Janeiro) que ao mesmo tempo é geral (desvorização e falta de catalogação dos arquivos). Antes de começa-lo sempre é importante mostrar o significado de algumas palavras para se entender / compreender o assunto. Ambas as palavras estao no sentido ligado ao patrimonio; vamos lá?
   Obs: Ele foi editado pois algumas

Inventario: [Figurado]  Inscrever ou mencionar pormenorizadamente, ou seja, nos minimos detalhes.


Catalogação: derivação fem. sing. de catalogar


1. Inscrever em catálogo.

2. Agrupar e classificar elementos. = INVENTARIAR

3. Qualificar. = ETIQUETAR, ROTULAR

Tombamento:  Fazer o tombo (de terras); verificar as demarcações; arrolar, registrar.
 

RJ – Inventário de arte sacra vira museu na Baixada
by Silvana Losekann • 29 de julho de 2012 

    Para proteger o acervo de arte sacra do Rio, o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) saiu a campo para levantar os bens móveis guardados em igrejas do estado. Iniciado em 2008, o trabalho já rendeu dois volumes de um inventário que só deverá terminar em 2014 e, até o momento, conta com mais de dez mil peças catalogadas. Tem imagens de Nossa Senhora, santos protetores, querubins, retábulos e pias batismais, entre outros objetos que, uma vez listados, poderão ser mais facilmente preservados. Mostrar à população parte dessas relíquias também é uma meta que deverá ser alcançada, em 2013, pela Diocese de Nova Iguaçu. Motivada pelo levantamento, ela espera abrir o primeiro Museu de Arte Sacra da Baixada Fluminense.
    Historiador e responsável pelo Arquivo Histórico da Cúria de Nova Iguaçu, Antonio Lacerda de Meneses diz que a instituição tem a maior fonte documental da Baixada, com originais datados de 1640.(...)
   - Fala-se muito do barroco de Minas e da Bahia, mas a Baixada tem rica produção de imagens. 
Região tem igrejas tombadas pelo Inepac (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural)

   Cidades como Angra, Paraty e Rio já têm museus do tipo, mas o historiador acha que há pouca divulgação do acervo. 
     Os dois primeiros volumes do inventário do Inepac abrangem a Baixada Litorânea e o Norte e Noroeste fluminenses. Atualmente, os pesquisadores atuam na Região Serrana, no Médio Paraíba e no Centro-Sul do estado. Embora Nova Iguaçu já esteja colaborando com o Inepac, as regiões de Baixada, Costa Verde, Niterói e São Gonçalo só serão visitadas no ano que vem. Já o Rio ficará para 2014.
     Paulo Vidal, diretor-geral do Inepac, diz que o inventário não é um trabalho apenas para quem gosta de arte, mas fundamental para o futuro dos acervos.
     - Temos que despertar o sentimento de pertencimento, mostrar à população o que significa aquilo que, para ela, era só uma estátua – conta Paulo, que também pretende chamar atenção para peças que desapareceram de igrejas nos últimos anos. – Há um arquivo com cerca de cem peças desaparecidas. Esse é um trabalho de formiguinha. O inventário é um trabalho de salvamento. Fazemos pesquisa de campo, localizamos a peça, identificamos e analisamos as condições do material.
     Começar o trabalho pelo interior não foi por acaso. Segundo o Inepac, havia uma “sangria” maior nesta região, por falta controle dos bens.
    - Algumas cidades não têm noção da importância histórica. (...)
Para controlar melhor o acervo, o Inepac criou endereços na internet, abertos à consulta popular: www.artesacrfluminense.rj.gov.br e www.bcp.rj.gov.br. Por Ediane Merola – Agência O Globo

fonte: http://www.defender.org.br/rj-inventario-de-arte-sacra-vira-museu-na-baixada/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...