Aos Leitores do blog

Sejam Bem-vindos!!! Este é um espaço dedicado a arte e aos seus (futuros) admiradores. Ele é uma tentativa de despertar em seus visitantes o gosto pelo assunto. Aqui, poderão ser encontradas indicações de sites, livros e filmes de Artes Visuais, imagens de artistas, alem do meu processo de trabalho. É o meu cantinho da expressão. Espero que sua estadia seja bastante agradável e proveitosa.
Este Blog é feito para voces e por voces pois muitas das postagens aqui presentes foram reproduzidas da internet. Alguma das vezes posso fazer comentarios que de maneira parecem ofensivos porem nao é minha intençao, sendo assim, me desculpem. Se sua postagem foi parar aqui é porque ela interessa a mim e ao blog e tento focar os pontos mais interessantes. A participaçao dos autores e dos leitores é muito importante para mim nestes casos para nao desmerecer o texto nem acabar distorcendo o assunto

terça-feira, 16 de julho de 2013

PATRIMONIO CULTURAL EM RISCO PERMANENTE

Patrimônio cultural em risco permanente

O texto a seguir nos conta a historia do surgimento dos mercados, porem na minha opinião esquece de informar diretamente aos leitores que mercados são considerados patrimonios imateriais, pois isso é deixado subentendido. Mas porque considerar o mercado como patrimonio imaterial se ele é um elemento físico. Isso ocorre porque o mercado somente existe verdadeiramente quando se esta aberto ao publico e la ocorrem manifestações e transitos que somente a estrutura física deste espaço nao consegue representar por si só. 




Por Sandra Cureau*


O descaso das autoridades com um dos cartões postais de Porto Alegre dá bem a marca da importância que emprestam ao patrimônio cultural.


  Nas sociedades primitivas, a distribuição dos produtos agrícolas era feita a 
todos os integrantes dos grupos sociais, conforme vínculos e alianças que se formavam entre eles.

   
  Os mercados surgiram na Idade Média, para permitir aos senhores feudais a venda das colheitas de suas terras. Eram semelhantes às feiras livres e não tinham locais ou datas fixos. Forneciam, além dos produtos do campo, utensílios comuns à vida diária.

   
   Em 1137, na Baixa Idade Média, iniciou-se a construção do mercado dos Halles em Paris. Nessa época, o aumento demográfico e o renascimento do comércio na Europa, associados às inovações técnicas que permitiam maior produtividade do solo, geraram a necessidade da construção de prédios para comercialização dos produtos do campo.

   
       Os mercados espalharam-se pelas cidades e são hoje, em todo o mundo, pontos de atração turística pela importância histórica que adquiriram, pelas características arquitetônicas e pela própria dinâmica e riqueza interior.


   O Mercado Central de Porto Alegre, também conhecido como Mercado Público, foi construído em 1869, em estilo neoclássico. Estabelecimentos que nele se encontram, ou se encontraram um dia, como o restaurante Treviso _ famoso pelas canjas que oferecia nas madrugadas à boemia porto-alegrense e que foi testemunha de importantes acontecimentos históricos _, tornam-se parte da memória coletiva da cidade.


   O incêndio da noite do último sábado, de grandes proporções, consumiu a maior parte do pavimento superior e o telhado antigo de cerâmica. Apesar da chuva, o fogo alastrou-se rapidamente e só foi controlado três horas depois. Especialistas estimam que outras partes do prédio podem ter ficado comprometidas. (...)


    O tempo presente é uma construção social: lembrar-se é, em grande parte, não esquecer. Neste contexto, os bens patrimoniais servem como um apoio à memória, uma vez que o passado só existe porque se apoia nos objetos que lhe estão ligados.


    Este é o quarto incêndio que atinge o prédio do Mercado. Os outros ocorreram em 1912, 1976 e 1979.  O comprovado descaso das autoridades com um dos cartões postais de Porto Alegre dá bem a marca da importância que emprestam ao patrimônio cultural, como testemunho da memória e da identidade do nosso povo.


  *Vice-procuradora-geral da República e especialista em Direito do Patrimônio Cultural

Fonte: Zero Hora

 O que o texto nos quis mostrar alem da historia do mercado e a importancia do mercado. Que mesmo que os monumentos se tornem caracteristica e simbolo de uma cidade, as autoridades esquecem de manter os devidos cuidados com estes conjuntos de bens culturais da cidade deixando os desprotegidos sem haver a conservação e a proteção necessária para a sua manutenção e permanencia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...